quarta-feira, 3 de novembro de 2010

La luna no miente.


Hoje a Lua não mente, hoje as estrelas me dizem a verdade, hoje seus olhos me encontraram em um caminho no qual faz tempo havia me perdido. Hoje o vento me leva até você. Sem buscá-lo, sem pensar em você, o alcancei, como uma onda que carrega tantas coisas, mas sempre chega outra que traz consigo as estrelas e os tesouros do mar. Assim você se parece, como um misterioso mensageiro cheio de segredos e mensagens ocultas nas profundezas de sua alma, no lampejo que seus olhos deixam ver só quando querem, só quando minha alma está disposta a ficar nua.
Eu me encontro em você sem querer e volto a me fechar nesta pequena cadeia que minha mente construiu para minhas travessas emoções, que me traem tantas vezes, que, às vezes, preciso controlá-las.
Mas hoje não quero reprimir meu sorriso e a ilusão que se incendiou em meu coração com um olhar, com a faísca de um sorriso e uma chama de sonhos e esperanças que viviam em agonia nas profundezas de meu corpo.
Hoje, neste momento, só sinto, só deixo que fale meu coração, minhas emoções que querem correr e não as deixo; e não quero saber, só quero acreditar na luz de seu olhar, que chegou a dar cor à minha vida, trabalho à minha mente e calor à minha alma.
Dulce María

Nenhum comentário:

Postar um comentário