quinta-feira, 24 de março de 2011


(...) Ela me puxa para mais perto.

- Estou aqui - sussurra Elizabeth.

Aqui. Comigo. Custa-me acreditar que seja verdade. Mas vou acabar acreditando. Nós nos abraçamos e adormecemos. Amanhã de manhã acordaremos juntinhos. Depois de amanhã também. Seu rosto será o primeiro que verei todos os dias. Sua voz será a primeira que ouvirei. E isso, sei bem, é tudo de que preciso.

Não Conte a Ninguém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário