quarta-feira, 6 de julho de 2011


E quando você me cansa eu enfio a minha cabeça no fortinho do seu peito, eu que sempre odiei os malhados, e peço a Deus para que eu nunca desista de te odiar tanto assim, porque não pode existir ódio mais cheio de borboletas, notas musicais e passarinhos azuis.

Amor à segunda vista - Tati Bernardi

Nenhum comentário:

Postar um comentário