domingo, 8 de janeiro de 2012


"Com o tempo, fiquei mais quieta. Continuo tendo crises de risos quando fico nervosa, diminuí meus amigos, e os que tenho já me bastam. Perdi o brilho no olhar, e o sorriso enorme que agora se faz em meu rosto já não é espontâneo. Meus pés se fundiram com o chão e qualquer passo além disso já me parece muito arriscado. O ar de juventude cada vez fica pra trás, estou me tornando uma mulher fria e, sem mais, calculista também. Sonhos existem, sim, mas os guardo pra mim. O que me resta é ajudar quem ainda permanece, mas somente eles, e não perder a fé jamais. Contudo, sinto-me melhor que antes, aliviada."

Nenhum comentário:

Postar um comentário