domingo, 1 de abril de 2012

Lembranças que se vão


Eu estava cansada de tudo, com um tédio enorme. A noite estava escura e eu, sozinha, como sempre. Comecei a vasculhar as coisas do meu quarto atrás de algo que pudesse me atrair, ou melhor, me distrair. Encontrei uma foto de um casal, do qual eu não sabia nada. A foto estava ali nas minhas coisas, mas eu não sabia nem sequer quem eram aqueles dois, que pareciam estar tão felizes.
De repente, uns pensamentos meio cruéis vieram à minha cabeça. Imaginei como seria se fossem eu e ele naquela foto. Era um pensamento que rondava a minha cabeça algumas vezes. E se tivesse dado certo, de verdade, como seria? As tardes assistindo a filmes, comendo pipoca, abraçados. Uma eternidade abraçados...
Eu balancei rapidamente a cabeça, na tentativa de fazer aqueles pensamentos irem embora de uma só vez. Odiava pensar nessas coisas, pensar nele. Às vezes até o esquecia, por míseros segundos, mas, com qualquer acontecimento, lá vinha ele flutuar em minha mente. 
Mas de uma coisa eu sabia: não era mais como antes. Agora eu tinha certeza disso. Eu o amava. Sim. Porém, agora, não penso como se ele pudesse estar aqui. Penso como algo que existiu para mim e que acabou e não poderá nunca nunca nunca mais acontecer. Talvez pensar assim não doa tanto, porque fico melhor assim.
Parei de procurar coisas. Não queria encontrar mais nada que pudesse trazer-lhe de volta para mim. Abri a janela e senti o vento bater em meu rosto. Fechei os meus olhos, respirei bem fundo e fiquei sentindo aquilo. O "cheirinho" do vento, o barulho das folhas se batendo, o barulho da noite. Depois abri os meus olhos e disse a mim mesma "Eu consigo viver sem ele. Eu quero isso. Eu não preciso dele." Repeti isso muitas vezes, até que eu mesma pudesse começar a acreditar nisso...

Thaianny Melo

Nenhum comentário:

Postar um comentário