sábado, 17 de julho de 2010

Illusion.


Eu era feliz antes de te conhecer. Eu era feliz antes de saber que você existia. Sempre sonhei em conhecer alguém, me apaixonar por esse alguém... Sonhava que esse alguém me dissesse as palavras mais belas que alguém já poderia ouvir. Sonhava que esse alguém me amasse com todas, todas as suas forças e que eu fosse a pessoa que ficasse ao seu lado eternamente. Antes de te conhecer, os meus sonhos me faziam bem, apesar de alguns sofrimentos com outras pessas.
Mas, num certo dia, num único dia, tudo isso mudou. Eu daria tudo o que tenho para que aquele dia nunca tivesse existido, que não passasse de uma loucura da minha cabeça. Mas não, tudo foi real. Real até demais. Naquele dia que você me ajudou. Me fez esquecer tudo o que eu estava passando, todas as minhas angústias, tudo de ruim que eu estava sentindo. E, com o tempo, fui me apegando a você, me apegando ao seu jeito. As suas palavras... Tudo em você era perfeito. Eu te amava, eu te queria pra sempre comigo. Eu sonhava com você, sonhava com nós dois juntos, sonhava com tantas coisas...
Contudo, você resolveu ir embora. Foi embora sem se importar com o que eu estava sentindo, sem se importar comigo. Talvez você nunca se importou, não é mesmo? Eu nunca signifiquei nada para você. Mas naquele momento em que você se foi, levou consigo o meu coração e tudo o que havia dentro dele. Você levou embora as minhas alegrias, os meus sonhos, os meus planos, a minha felicidade e só deixou a tristeza, a amargura, a solidão dentro dele. Você me fez gostar de você, e depois me abandonou; você brincou comigo, como um pequeno garoto, que brinca com uma bola de futebol, e, quando cansa de brincar, deixa-a de lado, escanteada, para depois brincar novamente. E eu não soube o que fazer. Como saberia viver sem você? Como passaria os meus dias? Como eu seria feliz? Como iria conseguir? Infelizmente, eu nunca encontrei essas respostas. Tudo o que eu mais queria era ser feliz. Mas, ao contrário, nada disso acontecia. Eu só via a escuridão. Eu me encontrava em um profundo abismo. E por mais conselhos que eu recebesse, por mais amigos que eu tivesse, não conseguia me libertar. Como era possível alguém mexer tanto comigo? Como era possível eu te amar tão intensamente?
O tempo foi passando... Você brincava comigo cada vez mais. Um dia, resolvi colocar os meus pés no chão. Eu sabia que você nunca iria mudar. Sabia que você era assim, e que seria sempre assim. Não havia mais jeito. Então, resolvi te esquecer. Foi ali, deitada em uma cama, aos prantos, que resolvi tentar te tirar pra sempre da minha cabeça. Ou do meu coração. Eu queria ser feliz. Só isso. Ser feliz com os meus amigos, com a minha família, comigo mesma. E eu lutei. Toda vez que pensava em você, logo ia fazer outra coisa. Eu evitava falar o seu nome, evitava lembrar de você. E estava dando certo.
Até que você apareceu de novo, e me deixou ainda mais confusa. Pediu perdão. E eu não havia te esquecido totalmente. Mas como... como eu poderia esquecer a pessoa que mais me fez feliz? A pessoa que mais me entendeu durante todo esse tempo? A pessoa que eu mais amava... Eu não queria te perdoar e sofrer tudo aquilo de novo. E tentei dizer não.
E assim terminou. Você ficou bem e eu, eu tentei me libertar de você. Tentei levar uma vida normalmente. Saí mais com meus amigos, me diverti com todos que realmente gostavam de mim. Tentei não pensar em você, mas isso é inevitável.
E hoje, o que tenho a dizer é que posso te amar, mas não sei se um dia te perdoarei por todos os seus erros e falhas. Eu te amei intensamente, e como ninguém nunca, nunca vai te amar. Eu te ajudei, eu te entendi, eu te fiz sorrir... Mas tudo teve o seu final. E foi esse o final. Posso te amar, mas já não vivo naquele abismo que vivia antes. Hoje sou feliz. Com esse amor que me pesa a alma, mas sou feliz...


Thaianny Melo


P.S.: O texto não passa de ficção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário