segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Enquanto isso, vou respirar...


Aqui estou eu mais uma vez. Sinto-me tão sozinha. Olho para os lados em busca de encontrar alguma ajuda, algum carinho, alguma palavra que possa me tranquilizar, me ajudar de verdade... Mas não encontro. A verdade é essa: agora estou só. Não porque eu quero. Aliás, há muitas pessoas que querem ver um sorriso aqui no meu rosto, que querem me ver feliz. Contudo, essas pessoas nunca irão me entender. Nunca irão entender o que se passa aqui dentro do meu coração. Para falar a verdade, nem eu mesma sei o que ando sentindo. 
Há algumas semanas senti a pior dor de toda a minha vida. Pensei que tivesse perdido o chão. Não sei, juro como não sei como consegui me manter de pé. Estava sendo extremamente difícil. Mas eu pedi a ajuda de Deus, e Ele, como sempre, me ajudou. Enviou forças para mim, fez-me ter fé para conseguir superar isso. Se eu já superei? Não. Esse é o grande problema da dor: todos dizem que vão passar. Quantos textos, frases, músicas e até mesmo meus amigos dizem que a tristeza passa e depois vem a alegria. Eu estou tentando fazer ela passar. Porém, lá no fundo há algo destruído. 
O pior é que eu tento me lembrar de como eu me sentia antes de tudo. De uma coisa eu sei: eu era muito, mas muito feliz. Acredito que nenhum dia era triste para mim. Eu chegava ao Marista, falava com meus amigos, nós sorríamos, e lembro-me também que eu sonhava com aquele tal "grande amor" que todos falam por aí. Sonhava com os abraços, os beijos, as palavras doces, o romantismo, a magia... tudo. Eu sonhava em amar de verdade, porque muitos casais por aí estão juntos, mas não se amam. Eu queria um amor que fizesse minhas pernas tremerem, minhas mãos gelarem, minha voz não sair da minha garganta... Ah, meu Deus, como eu era uma menina sonhadora! 
E aí o tempo foi passando. Num dia, num único dia, tudo isso mudou por minha culpa. Se eu tivesse ido entregar os livros àquelas crianças... Por que, meu Deus? Por que o Senhor não me fez ir? Por que não me avisou que tudo isso iria acontecer? Eu não teria pensado duas vezes! 
Mas aconteceu. Todos os meus sonhos pareceram realmente se realizar. Como eu era inocente... Porém, depois de um curto tempo, eu comecei a aprender. Depois de novo. De novo. De novo. De novo. De novo. De novo. Agora estou aqui, em frente a esse computador, com palavras na minha garganta que eu não tenho como pôr para fora... E só me resta postar aqui nesse Blog, que é o meu refúgio. 
A verdade é que tentei esconder a minha dor por muito tempo. E consegui, sabe? Estou conseguindo novamente. Mas é cem mil vezes mais difícil agora. Estou lutando com todas as forças que ainda restam aqui dentro para seguir a minha vida. Queria muito ser aquela Thaianny de antes, com tantos sonhos, com tanto amor para dar... Agora não. Parece que há um gelo aqui dentro. Tenho medo de me magoar, medo de me machucar... Ninguém é capaz de entender o quanto a mentira pode acabar com uma pessoa aos poucos. Dói muito. É como se rasgassem o coração, partissem-no, pisassem-no e jogassem-no no lixo. Simples assim.
Agora eu me pergunto o que fazer. Vou deixar o tempo passar... Prometi a Deus ter paciência. Eu espero o tempo que for para encontrar a pessoa certa, aquela que me faça crer no amor novamente, que me ensine tudo e que me faça esquecer o que é dor. Não quero nunca mais sentir isso, nunca mais. Eu já coloquei na minha cabeça que teve um fim, só me resta esquecer... No fundo, tenho medo de sentir saudades daqui a uns tempos. Se isso acontecer, não sei como lidar. Aqui dentro está tudo tão vazio, tão difícil, tão doloroso...
O tempo irá me ajudar. Não é como nos filmes e livros, que ao abrirmos a porta, encontramos a pessoa que será pai/mãe dos nossos filhos. Isso demora. Talvez um mês, um ano, uma década... mas quem sabe um dia chegue. E quando chegar, espero que Deus me mostre os passos certos a seguir. Eu mereço ser feliz depois de tudo. Eu mereço sentir todas aquelas coisas que sonhei quando era menor. Enquanto isso, vou apenas respirar. Só respirar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário