sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Palavras ao vento.

Como eu me sinto agora? Nem eu mesma sei. Meus olhos estão ardendo, minha cabeça latejando, minhas mãos geladas. Eu só queria entender até quando isso vai ser assim... Será que tantas coisas têm de acontecer ao mesmo tempo para a minha força ser provada? Se for, eu desisto. Eu digo que não dá, porque realmente não dá. Eu juro que não suporto mais. Passei um longo tempo suportando, na esperança de que Deus me ajudasse, me mostrasse os caminhos certos. Mas isso não aconteceu, e olha como eu estou agora... Eu não sei o que fazer. Se eu olho para um lado, lembranças me vêm à cabeça. Se eu olho para o outro, vejo um vazio. Um vazio que vai preencher minha alma até o último dos meus dias. Dizem que ouvir uma música, ler um livro, tomar um banho de mar servem quando queremos recomeçar. Eu já tentei de tudo, tudo, tudo. Venho tentando há tanto tempo... Eu pedi a Deus para me guiar, para me ajudar a escolher o certo... O medo me consumiu, mas o que eu sinto foi ainda mais forte e me fez arriscar. Eu joguei meu coração, meus sorrisos e meus sonhos no lixo quando o fiz. E dessa vez foi diferente. Completamente diferente.
Eu não sei o que vou fazer daqui pra frente. Talvez não haja mais nada a fazer. Vou apenas tentar respirar. Olhar cada segundo passar, cada vento bater em meu rosto, ver cada sorriso daqueles que gostam de mim, tentar sorrir com eles, e, mais uma vez, me enfiar em um silêncio profundo. Ninguém saberá de mais nada. Daqui a 2 anos e alguma coisa, se Deus quiser, eu estarei entrando em uma universidade. Depois de alguns anos, estarei com um emprego, tendo a minha vida, a minha liberdade. Com o passar do tempo, bem devagarzinho, eu vou aprender a seguir em frente. E por mais que isso doa de uma forma que eu nunca pensei que pudesse doer, eu preciso tirar isso de mim. Depois de tudo, acho que é difícil. Mas a vida vai me ensinar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário